segunda-feira, janeiro 26, 2009

Descendo a montanha

Lá do alto da montanha
Gritei teu nome
Para ouvir meu codinome
Levei um verso rimado
Um lápis afiado
Mas as estrelas me disseram
Que ali não tinha papel pra escrever tudo que quero,
Só se usasse as nuvens
Como remédio das palavras
E eu toda sem graça
Fui...
Lá pra cima das nuvens
Escrever meu verso rimado
Com o lápis afiado
Mas as luas avisaram
Que logo ia chover
E as nuvens assim mancharam
Tudo o que eu tinha te falado.
Triste desci as nuvens
Triste desci as montanhas
triste senti a chuva
E também triste senti as palavras
Mas no meio do caminho
Você estava lá
Você estava lá
Carregava um pote cheio de água.
Lá tinha água rubricada
Lá tinha água bordada
Lá tinha meu verso molhado
Junto ao teu abraço rimado.

Um comentário:

Estêvão disse...

entendi e não entendi