sexta-feira, agosto 29, 2008

teu canibal codinome

Minha antropofagia
Minha vida vadia
Que tanto sacia
Tua carne
Tua farsa
Minha faca
com teu sangue

Essa caça que tanto consome
Tua pele extinta
Essa presa tardia
Tua guitarra -agora sem garra-
teu nome.

Como predador
Quero tua dor
Nosso odor
Tua mais rica flor
Em fervor.

Como presa
Quero ser tua comida
Quero tuas mordidas
Quero ser tua fome
íntimo e codinome.

7 comentários:

Estêvão dos Anjos disse...

Como presa
Quero ser tua comida
Quero tuas mordidas
Quero ser tua fome
íntimo e codinome.

muitobom!

codinome disse...

"nessa selva selvagem só vc me sacia,só vc me da fome"

Yara disse...

salivar morder deglutir
a carne das tuas palavras
o verbo rasgando o músculo
tua carnívora arte
tua gula

sacia-me

Salve Jorge disse...

Teu canibal
Codinome
Tem mais do que fome
É algo mais primordial
Que do início ao final
Perpassa
Tal renome
Faz devassa
Desfaz a desgraça
E não há quem dome
Ou que mais alto assome
Enquanto isso se enlaça
Se entranha
Por dentro te arranha
E te ganha
Legítimo
Te consome
No íntimo
Um codinome...

Camila de Magalhães disse...

acho que lembro sim
você num tem um cabelão?
muito bom ler seus versos
pronfundos e sutis
:*

Auíri Au disse...

Me lembra Cazuza...
"Quero ser tua comida"
..todo amor que houver nessa vida...

Amei os versos, sinceramente...muito cheios de sentimentos!Escreveu para alguem??

BEijos

Yara disse...

flor linda que aniversaria... despetale e refloresça ainda muitas primaveras... em versos.