sexta-feira, junho 27, 2008

Desafinando

E se choro
É porque me tens enlatada
Configurada em uma pequena caixa
Trancafiada em uma ilha devastada.

E se sofro
É porque ainda tenho teu gosto amargo nos lábios
Teu cansaço a me perfurar as vértebras
Teu perfume sem frasco em minhas vísceras
Impregnado em meu corpo
Suor, saliva.

Mudo os rumos
Mas voltam-se as calçadas sujas de nós dois,
Os carros apressados e tua brevidade
As ruas escuras e teu cuidado
Teu desenho, teu relapso.

3 comentários:

Estêvão disse...

só me veio a palavra saudade ao ler isso

donda.albuquerque disse...

que lindo julhinha!

joão. disse...

muito bom julia!